Dia Nacional da Luta Contra a Obesidade – 11 de Outubro

Dia Nacional da Luta Contra a Obesidade – 11 de Outubro

O Ministério da Saúde revela que o índice de pessoas acima do peso segue em crescimento no País – mais da metade de população está nesta categoria (52,5%) e destes, 17,9% são obesos. Em comparação com os países integrantes do Brics – países emergentes considerados subdesenvolvidos -, o Brasil fica em terceiro lugar no ranking de obesidade (atrás da África do Sul (65,4%) e Rússia (59,8%). Em Brasília, de acordo com o Vigitel 2014, 50% da população do Distrito Federal tem sobrepeso ou obesidade, sendo 16% obesa.

 

Além de trazer à tona a preocupação com a saúde do corpo, em geral, os indivíduos que estão acima do peso devem ter um pouco mais de atenção também com os olhos. Dr. Ramon Barreto, oftalmologista do Visão Institutos Oftalmológicos, em Brasília, explica que várias doenças oculares podem ser acometidas em decorrência do sobrepeso e que, em casos mais graves, levam à perda da visão.

 

Diabetes

“Pode desencadear a retinopatia diabética. Ela demora a aparecer, mas se o paciente não estiver alerta e o diagnóstico não for feito a tempo, pode chegar ao ponto de o olho apresentar sangramentos, descolar retina e até perder a visão gradativamente. Em casos mais avançados, essa perda é irreversível.”

 

Hipertensão arterial

“A complicação é menor, se for comparada aos pacientes com diabetes, mas não deixa de ser grave. Pessoas que não controlam a pressão arterial apresentam estreitamento das artérias e dilatação das veias do olho, sangramento e trombose no fundo do olho. Se não tratada, também causa cegueira.”

 

Colesterol alto

“Também é um fator que contribui para a incidência da trombose (entupimento) das veias oculares e sangramento.”

 

Dr. Ramon aconselha que ter o controle sobre tudo é sempre o melhor caminho. “Sempre indico ter atenção com o Índice de Massa Corporal (IMC), cuidar bem da alimentação e praticar exercícios. Assim, o paciente preserva a saúde do corpo e os olhos também agradecem”, finaliza o especialista.