O Dia Mundial da Luta contra a Malária

O Dia Mundial da Luta contra a Malária

No dia 25 de abril celebramos uma data muito importante para a saúde de todo o mundo: o Dia Mundial da Luta contra a Malária. Esse marco foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS), visando parabenizar o grande esforço para tentar controlar essa doença tão perigosa.

O número de mortes por agravamento da malária ainda é assustador e, segundo dados do World Malaria Report 2018, da OMS, ainda há muito o que se avançar no controle da doença. Embora as pesquisas tenham avançado muito, o mundo grita que ainda há muito o que se fazer. Principalmente porque o quadro é mais presente em locais com alto índice de pobreza e vulnerabilidade social, que comumente não tem tantos recursos para investir em novas medidas.

 

Entenda mais sobre a malária

Trata-se de uma doença infecciosa febril aguda que é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Anopheles, infectada pelo microrganismo Plasmodium. Ela causa sintomas como calafrios, febre alta, dores de cabeça e musculares, taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos), aumento do baço e, por vezes, delírios.

No caso de infecção por Plasmodium falciparum, também existe uma chance em dez de se desenvolver o que se chama de malária cerebral, responsável por cerca de 80% dos casos letais da doença. Com isso, podem surgir outros sinais como:

  • Ligeira rigidez na nuca;
  • Perturbações sensoriais;
  • Desorientação;
  • Sonolência ou excitação, convulsões;
  • Vômitos e dores de cabeça, podendo o paciente chegar ao coma.

O grande ponto de atenção está na forma de transmissão. Isso porque o protozoário é transmitido ao ser humano pelo sangue, geralmente através da picada ou, mais raramente, por meios como compartilhamento de seringas, transfusão de sangue ou até mesmo da mãe para feto, durante a gravidez.

O tratamento dessa doença é feito com uso de medicamentos, que são fornecidos gratuitamente em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS). E somente os casos graves deverão ser hospitalizados de imediato.

 

E como prevenir esse mal?

É possível prevenir a malária usando mosquiteiros em nossa casa, aplicando telas em portas e janelas e usando repelentes efetivos para esse inseto. No entanto, muito mais que isso, é preciso que haja uma prevenção coletiva, com drenagem, obras de saneamento para eliminação de criadouros do vetor, aterro, limpeza das margens dos criadouros, modificação do fluxo da água, controle da vegetação aquática, melhoria da moradia e das condições de trabalho, uso racional da terra.