Vamos falar sobre a dengue?

Vamos falar sobre a dengue?

Em tempos de COVID-19, precisamos chamar a atenção para um assunto que não pode, de jeito algum, cair em esquecimento: a dengue. Para se ter uma ideia, em 2019, os dados mostram que a cada hora surgiam 206 novos casos da doença no Brasil. E, garantimos, ela não tirou férias para dar espaço ao novo coronavírus.

 

Primeiramente, entenda o que é dengue

Transmitida pela fêmea do mosquito Aedes aegypti, a dengue é uma doença infecciosa que pode causar uma série de sintomas, dos mais brandos aos mais graves. E, não importa a idade, sexo ou classe social, todos nós estamos sujeitos a ser picados pelo mosquito transmissor e, consequentemente, contaminados pelo vírus da dengue. Porém, aqueles que são considerados parte do grupo de risco estão sujeitos a complicações mais sérias, como os que sofrem de doença crônica, hipertensão e diabetes.

 

Os sintomas da dengue duram, em média, 10 dias. Nas linhas a seguir, vamos compartilhar com você quais são eles, de acordo com o tipo da dengue.

 

Para aqueles que contrairem a dengue comum:

Febre alta (acima de 37,8 ºC);

Dores de cabeça;

Dores musculares (nas juntas e atrás dos olhos);

Coceira;

Vermelhidão no corpo;

Anorexia;

Vômitos;

Náuseas;

Diarreia.

 

Para aqueles que contrairem a dengue hemorrágica:

Problemas neurológicos: delírios, sonolência, amnésia, demência e depressão; 

Hemorragia na região do estômago, duodeno, esôfago ou faringe; 

Derrame no pulmão;

Complicações cardiorrespiratórias.

 

No último ano, foram registrados no país 1.544.987 casos de dengue e, desse total, 782 pessoas morreram em função das complicações da doença. E, assim como a COVID-19, não existe um medicamento que sirva para a cura da dengue. É preciso muita hidratação, descanso e uso de antitérmicos recomendados pelo seu médico para que os sintomas sumam gradativamente.

Portanto, este assunto merece atenção redobrada. E existe apenas uma forma efetiva de prevenir a doença: evitando a proliferação do mosquito transmissor! Se cada um fizer a sua parte, fica mais fácil contornar esses números e reduzir os casos de dengue no Brasil. Confira algumas dicas e coloque-as em prática na sua rotina!

 

  • Água parada é sinônimo de perigo. Então, fique atento a objetos como pneus, vasos, latas, lixeiras e vasilhas para animais;
  • Os vasos de planta devem estar sempre limpos e com areia;
  • Tampe os vasos sanitários;
  • Mantenha os ralos vedados;
  • Limpe periodicamente as calhas da sua casa;
  • Mantenha caixas d’água fechadas.

 

A luta contra a dengue é uma responsabilidade de todos nós!